pesquisa google

Pesquisa personalizada

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

O bom dia




Hoje me aconteceu
O mais belo dos dias
Hoje eu ganhei
Um memorável bom dia
Meu amor
Olhou pra mim
E num sorriso
Que parecia não ter fim
Brotaram
Alegrias de mim
Com um bom dia
Muito especial
Mas o bom dia
Que ganhei hoje
Não tem igual
Abria a minha mensagem
E La estava
Aquele bom dia especial
Tinha traços de amor
Tinha carinho
Desprovido de paisagem
Tinha um leão no caminho
Aquele bom dia
Foi tão especial
Ele foi pra mim
Plantou alegrias em mim
Com aquele bom dia
Eu espalhei outros bons dias
Não sei se tiveram o mesmo impacto
Que teve em mim
Mas pra cada bom dia que retornava
A minha alma sorria
E você que me mandou aquele bom dia
Meu corpo
Minha alma
Naquele instante
A ti pertencia

Delonir cavalheiro
Canoas/Rs

11/11/2016

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

amor e lagrimas

Eu sabia que haveria choro
E claro que haveria lagrimas
Infelizmente
Choram as almas
Quem mandou seguir o coração?
Porque contrariar o destino?
Era visível
Tamanho desatino
O que começa errado
Esta fadado a terminar
Dolorosamente
Chore copiosamente
Este e teu fado
Coração traiçoeiro
Não viste a armadilha
Te enfiaste no espinheiro
Ah!quão doce era
Provar de teus beijos
Saber que eram meus
Teus pensamentos primeiros
Hoje sigo sozinho
Meus pensares
Não mais os confio
Meus dizeres
Hoje são meus pesares
Lagrimas pesadas
Teimam em rolar de mim
Meu coração
Que já viveu fora de mim
Volta ferido
Quão estúpido fui?
Não soube acaso ama-la?
Não
Foi muito amada
Faltou atitude
Da parte desse que chora
Preso ao seu moralismo
Fétido
Não fiel ao seu amor
Perdeu
A mais bela flor
Não quero outra chance
Pois bem sei
De novo
A farei chorar
Uma vez que ainda
Não aprendi a amar
Amar e para os fortes
Fui competentemente fraco
Minhas convicções?
Pois é
Malditas convicções


E no fim de tudo
O mestre virou aluno


Lição

Não transplante a rosa
Se não fores cuidar com amor
Ela definha e morre
Não atraia amor

Se não pode amar

sábado, 9 de julho de 2016

A noite do fim



 Madrugada
Todos de frio tremiam
Uivos cortavam a noite
Trasgos  e bruxas
O amanhecer temiam
Na fria noite de inverno
Todos são temerosos
Tolas superstições
A todos torna medrosos
E assim as noites transcorriam
Enquanto corvos e morcegos
Avizinhavam-se a tumba escarlate
lobos uivavam na pradaria
Anunciando o banho de sangue
Que logo  ocorreria.
Engana-se se espera regozijo
Não era festim
Talvez destino
era o uivo um lamento
ante gozo homicida
Da emoção da caçada.
Do mal solto no mundo.
Homens, mulheres e crianças
Todos de garganta rasgada
Banho de sangue
Ninguém do frenesi sanguinário
seria essa noite poupado.
Tudo pronto.
palco armado
O vento assoviava por entre as frestas das casas
Um lamento gélido
Desesperançoso
E os defensores? Por onde andariam?
Enquanto isso
Na pradaria os lobos uivavam.
O medo apossara-se
Das bestas lupinas
As crianças no berço
Solapavam em pesados pesadelos
Os adultos reunidos na casa principal, as defesas tratavam
E pelos cantos escondidos
Os jovens se namoravam
E assim passaram a noite
De medo trancafiados
Corações acovardados.
O vento não  dera trégua
Soprara  a noite toda
Assoviara uma funesta musica
O frio,  insuportavelmente
Congelante. Gelava até os ossos dos seres viventes.
As sombras esgueiravam-se
Por entre ruelas e vielas
Pareciam brotar da própria terra.
Nada se via
Apenas olhares rubros.
De onde vieram?
A que vieram?
Antes que tais perguntas fossem respondidas, gritos ouviam-se ao longe. Raios faiscavam por todo o lugar, um clarão anilado, temeroso, sobrenatural que em nada atenuava a sede de sangue das criaturas de sombra. Demônios incorpóreos feitos da mais densa e pura escuridão.
Cada casa por onde passavam, extinguiram  a luz das lareiras, das velas de sebo de Carneiro,
Tudo extinguia-se a presença de tais criaturas. Mas a luz que buscavam, era a centelha divina de cada ser vivo, fosse humano ou animal. A divindade em cada ser vivo da criação. Este era por decerto o alimento de tais seres.
Não restou um ser vivo no vilarejo.
A gritaria durou breves instantes.
Tão rápido quanto chegaram, desapareceram na fria terra coberta de neve. Deixando apenas a breve névoa do sangue quente
Cobrindo a neve de vermelho rubro.
Ato consumado.
Nada mais vive.

O vilarejo
Do Alto brilhou
Intenso clarão
Nada se moveu
Nem ínfimo sinal de vida
Tão silencioso quanto o sepulcro
Nem mesmo uma alma por testemunha.
Onde antes havia vida
Agora apenas o silêncio
E os lobos que antes uivavam
Afogaram-se em seu sangue

Calmaria
Após ato consumado
O vento amainou
Silêncio na pradaria
Os lobos silenciaram
Tudo a volta
Tornou-se silêncio
Nem mesmo um grito
Ou um gemido
A expectativa.
O medo.
O murmurinho das pessoas
Trancafiadas, com medo
Silenciara.
Todo virou silêncio
A pradaria manchada
De um vermelho rubro vivo
Das adjacências, nas vilas vizinhas
Todos comentariam ao longo da história humana. De como um vilarejo inteiro desapareceu, restando apenas carcaças e sangue.
E assim desaparece da face da terra o vilarejo
De pobres colonizadores ingleses,que vieram desbravar o novíssimo mundo
A América.
Apenas as cabanas vazias foram encontradas no outro dia. E o sangue dos lobos na pradaria e na aldeia. Nada mais. Apenas um silencio maldito. Nem mesmo os pássaros passavam de revoada sobre o vilarejo morto.
Apenas uma palavra escrita em sangue em muitas arvores secas e retorcidas como se mortas a décadas:
Croatan

segunda-feira, 14 de março de 2016

Tempus fugit






















Tempus fugit

HoJe o tempo parou
Apenas minuto.
Mas foi o minuto mais longos
De toda a minha vida
HoJe Eu soube de você
Por um instante
Tudo parou
Nada no mundo se movia
Nesse instante
O mundo era você e eu
Nada de lágrimas
Como se fosse possível
impedi-las de cair
Mas só por hoje
Só por um instante
O mundo parou
Parei de respirar
Afinal, tinha você para amar
Ainda que não soubesse
Por um instante maravilhoso
Tinha você para idolatrar
Sina de louco
Louco eu
Te amar, platonicamente.
Sim. Mil vezes sim
Por um instante
Eu te amava.
Na minha loucura,
Luxúria
Num instante
Fragmentos de tempo
Eu louco, te amaria.
Hoje eu soube de você
Insana sanidade
Palavra que rima
Com a saudade
Que traz no vento
Palavras de amor
Sanidade
Razão de minha ansiedade
Dor...

domingo, 27 de setembro de 2015

coletanea


1-beijo

Vai beijo,
deposita o osculo desejado,
nos tenros lábios do meu amor,
incendeia seu ser de desejo,
 acende o fogo da paixão
,deixe-a tremula de desejo,
sexo em brasa,
queimando de tezão.
vai beijo,
beija lhe as carnes macias,
 dentre as penas dela,
deposita entre os grandes labios
o beijo volupto,
audaz.
beijo de lingua 
em seu sexo quente,
faze a delirar beijo,
seja demorado,
rouba dela o gosto do mel,
traze me o gosto dela.
vai beijo.
diga lhe que a amo.

2-amor ao fim do dia


Com o fim do dia,vai-se embora a luz e o calor do sol.deixa-me nu na cama,com o calor de teu corpo,e o desejo,devasso,a me dominar.teu corpo,languido,convida me a te amar


3- simplesmente sorriso

Amo o sorrir,sorriso,sorrido.amo o desenho dos lábios sorrindo.colocando a lua,metade inteira,crescente.no rosto de quem sorri.iluminando o olhar,luar,de quem traz a lua num sorriso

terça-feira, 2 de junho de 2015

se eu morrer antes de você

SE EU MORRER ANTES DE VOCÊ

Se eu morrer antes de você, faça-me um favor:
Chore o quanto quiser, mas não brigue comigo.
Se não quiser chorar, não chore;
Se não conseguir chorar, não se preocupe;
Se tiver vontade de rir, ria;
Se alguns amigos contarem algum fato a meu respeito, ouça e acrescente sua versão;
Se me elogiarem demais, corrija o exagero.
Se me criticarem demais, defenda-me;
Se me quiserem fazer um santo, só porque morri, mostre que eu tinha um pouco de santo, mas estava longe de ser o santo que me pintam;
Se me quiserem fazer um demônio, mostre que eu talvez tivesse um pouco de demônio, mas que a vida inteira eu tentei ser bom e amigo...
E se tiver vontade de escrever alguma coisa sobre mim, diga apenas uma frase:
-"Foi meu amigo, acreditou em mim e sempre me quis por perto!"
Aí, então derrame uma lágrima.
Eu não estarei presente para enxugá-la, mas não faz mal.
Outros amigos farão isso no meu lugar.
Gostaria de dizer para você que viva como quem sabe que vai morrer um dia, e que morra como quem soube viver direito.
Amizade só faz sentido se traz o céu para mais perto da gente, e se inaugura aqui mesmo o seu começo.
Mas, se eu morrer antes de você, acho que não vou estranhar o céu.
"Ser seu amigo, já é um pedaço dele..."
Padre Zezinho

quinta-feira, 21 de maio de 2015

alem da vida

alem da vida

Alem da vida
existe um lugar.
cheio de paz
e muita alegria
de amor e muita vida
não ha ali
nem sombra
nem escuridão
que para sempre durem
assim como a noite
sucede o dia
a treva some diante da luz
clareando passos e caminhos.
a vida alem da vida,
prossegue cheia vida,
prossegue a caminhada para evolução do ser,
prossegue o amor,
prossegue a vida,
aprendizado e trabalho,
prossegue amor e vida,
na vida além da vida

coleção 2

de todo meu ser

De todo meu ser seria
A poesia que verteria
nos versos que criaria
Os cânticos que entoaria
De todo meu ser seria
A janela indiscreta
Que a noite te observaria
Pela pequena fresta






O BEIJO DO POEMA

QUISERA SER POEMA
POR LIDOS LÁBIOS PASSEAR
QUE DA PALAVRA SEDUTORA
POSSA A ALMA CONQUISTAR
BEIJAI ENTÃO O POEMA
SÃO VERSOS DE UM CORPO TRAÇADO
EM UMA LINHA RETA,
QUE LEVA AO PRAZER
QUEM SABE AMANHA,
SERA NA GAVETA GUARDADO.

som e furia

Som e fúria
Retumbam no silencio da noite
despertando dos sonhos
perversos e inocentes sonhadores
com o som de suas asas atemorizantes
saídas de um pesadelo.
Esta quebrada assim o sonhar
Paisagens negras
sombrias paragens
mãos disformes que agarram
nauseabundos seres envolvem
em seus mares de pesadelos sem fim
Desespero
por fim domina fraca carne.
Rende-se ao plácido silencio temeroso
bebe do infecto néctar do medo
sem jamais despertar
do eterno pesadelo
enquanto breve dura o sonhar
Uma noite de sonho apenas
sente-se o som de bater das asas
de som e fúria
de angustia e lençóis revoltosos
travesseiro suado
embebido no néctar azedo da dor.
Chega a aurora de um novo dia
Dissipando o breu noturno
Trazendo consigo o despertar
De perversos e inocentes sonhadores
De pesadelos apagados
Até um novo sonhar
Que se quebre assim a monotonia do sonhar
Enquanto pesadelos tomam de assalto
Aquele que aventura no sonhar
E assim
Quebrada esta o sonhar
Fissurada, arranhada
Brechas de escape
De monstruosos pesadelos
De bater de asas
De som e fúria

contos da escuridão. Danação

Contos da escuridão
Conto 1.

DANAÇÃO

-ola. Tem alguém ai?
-ninguém?
-Uma alma caridosa?
Meus pensamentos estão confusos. Imagens de um pensamento que não é meu, mas ao mesmo tempo em que me pertence. Seria isso a loucura. Um tormento infindável?
Já não sei quem sou. Resta apenas este trapo humano, mais desumano, despojado de humanidade, uma sombra do que já fui. Um homem. Sim já fui um homem, ou acho que isso. Nessa escuridão já nem sei mais quem ou que sou. Não vejo nada, apenas as trevas me acompanham a cada passo e a cada tombo. É uma de cair e levantar, nesse imenso vazio trevoso, infinito, sem nada a se apoiar, sem nada a tatear. Estou enlouquecido com certeza. Mas acaso teria eu a certeza de estar louco, se a loucura não me daria tal raciocínio?
Tenho muitas perguntas. Já nem posso confiar nos meus sentidos. Sinto dores, sede, fome,frio,e nada nesse inferno escuro faz isso cessar.
-acorde porco. Ande.
Meio sonolento ainda sou sacudido por pancadas,que se assemelham a socos e pontapés.
-acorde imprestável. já descansou o suficiente.
-Agora é hora de pagar a estadia em meus domínios.
Antes de esboçar qualquer reação,ou articular qualquer palavra,sou jogado no ar,qual fosse um balão de ar e novamente segurado por mãos poderosas.
Tento desesperadamente gritar com meus captores.inutilmente.percebo que não posso falar.mudo.estou mudo.o pavor me domina por completo.
A escuridão persiste. Onde estou. Para onde estão me levando. Ouço risos e deboche de todos os lados. Gargalhadas guturais. sons de fúria e o arrastar de pesadas correntes.
Meu Deus, meu Deus, meu Deus.
-olhem todos. Dissera alguém de voz cavernosa. -vejam como este animal humano clama por seu deus. Não fora ele próprio quem declarou que Deus não existia?
-AQUI TE ENCONTRAS PARA SERES JULGADO POR MIM.
A voz mais parecia um trovão que ecoava por todos os lados. tremendo e acuado num canto.assim me deixaram.assim fiquei.te todos os tormentos o que mais me assusta é a escuridão.
-A ESCURIDÃO É O MENOR DE TEUS TORMENTOS. AQUI NINGUÉM TERÁ COMPAIXÃO DE TI,DE PRONTO JÁ TE AVISO.TEU CASTIGO SERA ETERNO.ENTRETANTO OUVIREI OS QUEIXANTES A TEU RESPEITO.
Terei enlouquecido de vez?Que queixantes?Quem ousaria queixar se de mim?
-MUITO SÃO AS QUEIXAS QUE PESAM CONTRA TI.
Como se não posso falar esse daí responde a minhas perguntas?
-SAIBA QUE TUA CEGUEIRA É POR MINHA VONTADE E ASSIM PERMANECERA, ASSIM COMO TUA MUDEZ.
-NÃO ÉS DIGNO DE OLHARES A NÓS TEUS ACUSADORES E JUÍZES. MENOS AINDA QUE PROFIRAS UMA PALAVRA. AQUIETA-TE. TEU DESTINO ESTA SELADO. AQUI TE ENCONTRAS POR MERA FORMALIDADE. E PARA QUE NOS DIVIRTAMOS ENQUANTO TE ACUSAMOS.
Estarei no inferno?
ENTÃO AQUELE QUE NÃO CRÊ EM DEUS CRÊ NO INFERNO?NÃO SERIA TU ENTÃO UMA CONTRADIÇÃO?SE CRÊ NO INFERNO CRÊS EM DEUS.
-NÃO RESPONDA. NÃO QUERO MAIS OUVIR TEUS INCÔMODOS PENSAMENTOS.-MANTENHAM-NO EM ESTADO DE DOR PARA QUE NÃO PENSE EM NADA.QUE SEUS GRITOS MUDOS SEJAM MUSICA PARA AQUELES QUE BUSCAM DE JUSTIÇA E VINGANÇA.
-TRAZEI-O AO AUDITÓRIO.
ABRAM O PAINEL MENTAL O INFELIZ,QUE ELE VEJA TUDO EM SUA MENTE,MAS CONTENHAM SEUS PENSAMENTOS.NÃO QUERO DESORDEM NO MEU TRIBUNAL.
QUE ENTRE O PRIMEIRO ACUSADOR.
-sr.aqui me encontro para anunciar o crime deste homem contra mim e minha família.
-QUE BUSCAS TU DE MIM?
-justiça.-não vingança,quero que ele sofra por tudo que fez.
-ELE SOFRERA MEU PEQUENO SERVO.
-QUE SEJA FEITA A PRIMEIRA ACUSAÇÃO.
Abre-se em minha mente um painel.vejo uma pradaria linda,campos verdejantes,e uma linda menina.olho a mim mesmo,um soldado.desertor acredito eu.maltrapilho.corro atrás da menina e abuso dela de todas as formas possíveis.vejo a mim mesmo fazendo crueldades inimagináveis.por fim vejo o sangue inocente em minhas mãos.
A cena avança alguns dias.
Numa taverna,bêbado apunhalado pelo pai da menina,acho eu.encontro meu fim.
QUE TENS A DIZER ANIMAL. ESPERA NÃO PRECISA AS PROVAS DE TEU CRIME SÃO IRREFUTÁVEIS.
-E TU,QUE QUERES DE MIM?
Entra no tribunal uma moça que seria lindíssima não fosse seu estado lastimável.
-quero que ele sofra as humilhações que sofri,ele que já não pode mais morrer,que sofra tormentos pela eternidade.
Novo painel mental.
Algo que seria uma pequena cidade, um vilarejo.
Agora a vejo com toda sua beleza. uma linda e formosa mulher,vestida de ricas sedas .
Vejo a mim mesmo como seu amante.esposa de um rico mercador.flagrados em ato adultero,fugi covardemente e a deixei.
O tempo passou ,alguns dias após,procurado pela dama em meu local de trabalho,me pede auxilio.não apenas nego como a humilho diante do vilarejo.
Meses mais tarde a vejo enforcada na saída da cidade .não como vido ainda a humilhei mais ainda.mesmo morta.sendo o mais errado da história toda eu.
Mas o mais cruel dos meus crimes ainda estava por vir.
-PRÓXIMO  ACUSADOR.
-QUE QUERES TU DE MIM.
-justiça apenas
-MESMO SABENDO QUE A SENTENÇA DELE JÁ ESTA DECIDIDA?
-ele plantou. Ele que colha.
-MAIS QUE JUSTIÇA,ISSO ME PARECE VINGANÇA.
-tivesse o Sr testemunhado o que vi, a monstruosidade praticada para com meu filho,não queria o Sr vingança também?
-MUITO BEM.ALEM DO PAINEL MENTAL,QUE TU NARRE A HISTÓRIA.
-é longa, ouvira o Sr?
-TEMPO NÃO NOS É PROBLEMA NÃO É MESMO.
-muito bem
-No ano da graça de nosso Sr Deus pai...
-Perdoe me.eu não quis invocar a ele.
-NÃO TEMA PEQUENINO.SOU JUIZ AQUI,POR OBRA E VONTADE DE DEUS.O MAL PRATIACADO AQUI É TÃO SOMENTE PARA PUNIÇÃO DOS MAUS.NÃO SOMOS MAUS,A PENAS FAZEMOS A JUSTIÇA PARA AQUELES QUE NÃO O PODEM FAZER.E O PREÇO JÁ NOS FOI AJUSTADO NÃO É MESMO.POR TUA JUSTIÇA TU ME SERVIRAS NA ETERNIDADE.
A GORA RELATE E BUSQUE TUA JUSTIÇA.
-obrigado grandioso ser.
-Tinha-mos um filho apenas,minha esposa e eu.com sacrifício mandamos ele para escola.esse monstro era o mestre.tinha-mos confiança nele.deixamos nosso único filho para que estudasse as letras com ele e mais trinta colegas.
-mas tudo mudou numa tarde de inverno.
Meu coração dispara diante das imagens.reconheço o menino de quem ele fala.
Meu filho,nessa ultima vida fora meu filho,fico aflito,quero gritar e chorar mas não consigo,estou imóvel,petrificado.como fizeram isso a mim?como me prenderam dessa forma.
Desespero...
-esse mostro matou meu filhinho.
Lagrimas de dor rolavam da cara de meu acusador,e eu cada vez mais desesperado,a angustia crescendo,meu coração parecendo pular fora de mim.como isso é possível.?se já não tenho mais corpo físico.como posso sentir tudo isso?
-por meu filhinho não saber os números que ele ensinara,o colocou de castigo no porão da escola.
-meu filho gritava desesperado, que tinha um bicho La dentro.mas o monstro apenas gritava mandando-lhe que se calasse.os colegas que eu escutei depois falaram-me que o meu filho implorava por socorro mas que o monstro gritava e mandava que ele fosse homem e não um covarde.que aguardasse na escuridão até o termino da aula.disseram que meu filho parara de gritar,que tudo silenciara.
-esse monstro matou meu filho.
Um silencio de cemitério pairou no recinto.até que o trovão voltou a ressoar por todos os lados.ele urrava de prazer e ria como numa peça de comédia.o trágico é que era minha a ser narrada.comédia para eles um file de terror no qual sou eu o monstro e ao meso tempo a vitima.como parei aqui.por que eu?
-CONTINUE,E TU ANIMAL ,NÃO TENS DIREITO ALGUM AQUI.NEM O DE CHORAR OU DE IMPLORAR PERDÃO,ALIAS NINGUÉM QUE CHEGA A ESTE TRIBUNAL TEM PERDÃO.
A cada palavra do meu juiz mais eu temia meu fim. Meu destino como dissera era sofrer em tormento a eternidade.seria ele o diabo?
-as crianças me chamaram no trabalho.me relataram o corrido.
CONTINUE
-Passava da hora da ave Maria quando me alcançaram.
-Disseram-me que meu menino estava morto. M orto de castigo, que o professor deles o castigara no porão da escola e que La ele morrera picado por uma serpente venenosa.
-contaram-me do sofrimento do meu filho,de como ele implorou por ajuda e de como esse monstro o chamava de covarde.
-ele so tinha seis anos.
-Como alguém pode fazer a um inocente de seis anos?
-Somente sendo um monstro
-procuramos pela serpente,os pais dos demais meninos e eu.por fim a encontramos.eu mesmo tirei sua pele.eu mesmo pisei-lhe a cabeça,a matei com minhas mãos .mas não bastava eu queria a cabeça do monstro empalada.nunca mais voltei para casa.após o enterro do meu menino.minha esposa suicidou-se,e eu passei a vagar atrás do monstro.ele desapareceu n o mesmo dia de seu crime. Encontrei sua família.cheguei a ter o pescoço de seu filho em minhas mãos.mas não era ele que eu queria.
AINDA BEM QUE NÃO O FIZESTE.TERIA SANGUE INOCENTE EM TUAS MÃOS E SERIA TU ALI NO LUGAR DELE HOJE.
TENS MAIS UM CRIME A SER JULGADO.
O QUE PRATICASTE POR ULTIMO.
QUANTO A ESTE, QUE TU MESMO SEJA O ACUSADOR.QUE TUA CONCIENCIA SEJA TUA ACUSADORA.
Abre se novo painel mental.vejo a mim mesmo ainda adolescente.
Estou só.um lugar fechado,azulejos por todos os lados.um banheiro.mas não é dos meninos.não há mictórios.olho para os lados.coração acelerado,ofegante,como um ladrão,alguém a fazer algo muito errado.
Entra uma menina.linda,sorriso angelical.vejo a mim mesmo como se assistisse a cena do alto.violento a menina até estar saciado do desejo animalesco que me dominou.ato contínuo saio correndo,nem percebo que o corpo da menina ficou inerte no chão.
Apenas mais tarde quando ouço a gritaria que me dou conta da merda que fiz.
Junto tudo o que me pertence e corro para casa.meus pais estão viajando,pego todo dinheiro que há na casa,no cofre,ouro,joias,e desapareço no mundo...
Nova paisagem.
Agora casado e já com idade, tenho um filho, que aparentemente me odeia,não importa o quanto eu faça para agrada-lo,ele me detesta.mas sinto que o amo.mesmo apesar disso,sinto afeto pelo moleque.
Novo painel. detesto essas mudanças.me causam dor de cabeça
Agora estou no quarto do meu filho.ele esta na aula.e eu me divertido com uma puta qualquer que chamei por telefone.dessas que se anunciam no jornal.minha esposa viajando,eu achei que merecia me divertir.então chamei essa puta.passamos a tarde nos divertindo,perdi a noção do horário,meu filho me flagra em pleno ato sexual na cama dele.
Ele sai gritando que vai contar tudo para mãe dele. Um escanda-lo que definitivamente eu queria evitar.uma vez que ela era a dona do dinheiro que me sustentava.
Chamei, implorei para conversarmos. Mas ele estava irredutível. mandei a puta embora.
E fui ter com meu filho. Mas ele fugira de mim. demorei alcançá-lo.chorava muito.esta inconsolável.dizia impropérios a meu respeito.que merda.era meu filho.tinha o dever de me respeitar .resolvi exempla-lo ali mesmo.dei uns tapas.nada muito forte.por que o filho da puta tinha de morrer.por que ele tinha de cair no cordão da rua.bateu a nuca.a morte foi instantânea.nada pude fazer.somente me dei conta do mal quando já estava sendo linchado pela multidão.fiquei em coma varias semanas.uma única vez minha esposa foi me ver.chorou,espraguejou e por fim me amaldiçoou.que eu apodrecesse no inferno.
Será que é por isso que aqui estou?
Somente ouço as gargalhadas a minha volta. Fecha se o painel mental.
Quero chorar,gritar que estou arrependido de tudo,mas incapaz como estou, todo meu sofrimento se afoga na minha garganta.
AGORA TU COMPREENDE O TAMANHO DA TUA CULPA.DOS CRIMES QUE PRATICASTE?
POIS AGORA EU DE DOU A PENA. E ETERNA ELA SERA.
PARA O CALABOUÇO COM ESTE ANIMAL. MANTENHAM-NO PRESO EM FERROS AOS QUATRO VENTOS,ESTIQUEM SEU CORPO ATÉ QUE SUA PELE NÃO AGUENTE MAIS.MANTENHAM-NO EM DORES.MANTENHAM-NO CALADO,QUE NINGUÉM SEJA OFENDIDO PELO SOM PODRE DE SUA VOZ, E PARA SEMPRE CEGO PARA A LUZ DO DIA.JOGUEM-NO NO CALABOUÇO MAIS PROFUNDO, NUMA CELA SEM GRADES E SEMPRE A FERROS.QUE DEIXEM DIARIAMENTE QUE ELE REVEJA SEUS CRIMES BÁRBAROS. QUE DIARIAMENTE SEJA ELE ESFOLADO POR UMA DE SUAS DE SUAS VITIMAS.QUE SUA PELE MALDITA E PESTILENTA SIRVA DE ALIMENTO AS BESTAS DO ABISMO.
QUE SEUS GRITOS SEJAM AFOGADOS NA SUA MUDEZ.
QUE ASSIM SEJA ATÉ A ETERNIDADE SE FINDAR.