pesquisa google

Pesquisa personalizada

sábado, 4 de novembro de 2017

Esperança e amor

Esperança e amor

Estou aqui
Cheio de esperança
Olhando teu retrato
Olhando você
Imaginando mil maneiras
De você eu ter
Não me conformo
Porque? Porque te conheci
Nada me preparou para isso
Um sonho acordado
Uma mulher maravilhosa
Desejo proibido
Por vezes  ignoro o fato
Pois sei, sou amado
Como queria nesse momento
Ter você em meus braços
Trocar juras de amor
Entre beijos e afagos
Carícias não trocadas
Beijos nunca molhados
Só imaginação
Ainda assim
E teu o meu coração
E quem sabe um dia
Possa te beijar
Possa te fazer mulher
Possa te amar

Delonir cavalheiro
Canoas/RS

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Amor proibido

Amor proibido
Desejo contido
Tesão bem aceso
Oh mulher que desejo

Queria tanto te tocar
Teus lábios beijar
Recostar-me  a teu lado
Teu corpo, acariciar

Amor proibido
Tão gostoso
Me queima por dentro
Pecaminoso?

Não adianta
Tento refrear
Mas quero teu corpo
Quero dentro de ti entrar

Quero lamber teu tesão
Sentir o teu gosto
Beijar tua boca
Após beber teu gozo

Amor proibido
Que se foda
Te quero pra mim
Te quero toda
De corpo e alma
Paixão sem fim


Delonir cavalheiro 

Canoa/RS 

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Esta na hora de acordar Brasil


Vivemos a cada dia mais e mais distantes da sociedade ideal. A cada dia vivemos mais próximos de uma Sociedade distopica.
Valores distorcidos,  onde e normal os alunos agredirem seus mestres verbalmente ou fisicamente. Vivemos hoje o imperativo do medo. Vivemos presos em casa, amedrontados com o mundo que nos rodeia. Assaltos, latrocínios, agressões por motivos fúteis. A vida se tornou banal. Nunca foi tão fácil se tirar uma vida. E a impunidade está presente. Somos vítimas de um sistema carcerário falido. Uma Polícia ineficiente, por falta de conto gente ou viaturas. Policiais frustrados, prendem o mal feitor e o juiz manda soltar.
Não obstante a isso temos a
Corrupção que assola nosso país de ponta a ponta. Criminosos no poder que legislam em causa propia. Eleitos para servir a população, servem-se da nação
Roubam dinheiro do povo. Quiçá ouvesse homens em. Decoro o suficiente para tornar a Corrupção crime inafiançável. Jamais nossos políticos deveriam aprovar leis que beneficiassem a si.
Agora vem com uma lei que flexibiliza o Trabalho escravo. Com cargas horarias abusivas.
Venda de valores morais e isso que vemos hoje nas esferas de poder.
Povo sem educação. Sem escola
Sem saúde e sem a quem recorrer
O país está sucateado. Sugado. Vampirisado. Sugado de todo seu valor moral. Onde um governo corrupto gasta fortunas do paiz para se manter no poder. Compra deputados, senadores, juízes.
E quem paga a conta?

domingo, 22 de outubro de 2017

Dueto :esperança e amor

Delonir
Estrelado por você
Fiz uma esperança,
E plantei dentro de mim...

Nana
A alegria de um novo recomeço,
O desejo de ser feliz 
Viver o que ainda não vivi.

Delonir
A esperança de um amor
Que seja maior que eu
A felicidade que ainda não senti Esperando está em ti...

Nana
Com essa felicidade
viveremos um amor
Que arde como fogo
E acalma meu coração.
És uma doce e suave melodia
Que faz da minha vida a mais bela canção.

Delonir
Es cada letra da estrofe repetida Da canção dos apaixonados
A emoção sentida
No poema transcrito
Beijos sempre abafados
Hoje quiçá liberados
inspirado em você
Me fiz poesia
Pra você Alegria

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Pra falar de poetas e poesias

O POETA TECE EM LINHAS
UMA OBRA RICA EM RIMAS
UMA PAISAGEM NO IMAGINARIO
DESTE ARTISTA ORDINARIO

O PINTOR E SEU PINCEL
EM UMA TELA,PINTAM UM POEMA
TEM A SENSIBLIDADE DO ARTISTA
AO RETRATAR UM TEMA

A TINTA ESCORRE NA TELA
DESENHANDO UMA FIGURA
O POEMA SOBE NA ALMA
DA VIDA A PINTURA

SAI DO POEMA UMA OBRA
PINTADA EM AQUARELA
UM ESCREVE NAS LINHAS
O QUE OUTRO PINTA EM UMA TELA.

Delonir cavalheiro
Canoas/RS

Fui poesia

Fui poesia
Nos olhos atentos
De uma guria

Fui poesia
Uma insolente alegria
Hoje sou apenas uma fotografia
Trancada em um porta-retrato
Hoje faço parte do seu passado

Eu fui o seu incessante desejo
A gana de um beijo
O ludibro cortejo
Hoje não passo de uma mera lembrança
De uma desconfiança
No olhar daquela
Que foi criança
Mas, agora está uma mulher tão bela

Fui poesia
Do seu olhar, magia
A constante alegria
Do seu novo dia

Fui seu amor verdadeiro
Por um ano inteiro
Hoje, não mais

Hoje sou apenas uma fotografia
A dor que destina
A ausente alegria
No semblante daquela ex-menina

Fui poesia
E regia com maestria
Este posto tão agraciador

Hoje sou a ausência do amor
Os pesadelos de noites mal dormidas
A constante dor
Que se fecha,
Mas, que não cicatriza

Fernando Martinho
15-10-2017
22:22 pm

Eu poeta

Escrevo sobre o que sinto
Sobre o que vejo
Às vezes minto
Às vezes faço gracejos

Falo sobre tudo
Sobre as coisas deste mundo
Alguns versos eu só imagino
Outros eu só rimo

Alguns sentimentos eu vivi
Outros inventei
Alguns sorrisos eu sorri
Outros apenas eu dei

Eu poeta
Escrevo sem parar
Com papel e caneta na mão
Vou traçando minha meta
De levar palavras reconfortantes
A quem as quiser deixar entrar

Eu poeta
Escrevo sobre momentos
Sobre amores não vividos
Sobre reles pensamentos
Que me são acometidos

Talvez, eu seja um tipo de transmissor
Alguém que sente a dor
Mesmo não sendo em mim
Talvez, eu seja sim
Um transmissor de paz
Um ser capaz
De despertar para a vida
Uma pessoa abatida, deprimida
Já entregue e decidida
A findar a sua vida

Talvez, este eu poeta
Possa adentrar a porta aberta
Que você, então deixou
Para que nela eu deixe
Palavras de amor

Fernando Martinho

POETIZAR

E viva o amor em todas as formas e manifestações. 
Desde que seja benéfico e dê-nos paz aos nossos corações.
Amor a escrita é a forma mais bonita de amar, ser e sentir-se amado.
Livre de angústias, dor ou de acometer pecados. Somente amamos escrever, sem anseios de enriquecer!
Por vezes relatamos, tragédias, amor ou comédias.
Não tão inspirador, porém necessário.
As questões sociais fazem do contexto identitário.
A fome, a morte, a violência... fatos reais.
A poluição ou destruição do planeta.
Todas as formas de preconceitos.
O poeta é um defensor de todos os deireitos.
Com seu versos suscintos, ousados cheio de verdades.
Rotulado, incompreendido constantemente.
O poeta/a poetisa nasce com o dom da escrita.
Com o coração repleto de sonhos, de paz...
Entendê-los facilitaria sua busca infinda, horizontes hordeiros.
Significando com maestria: imagens, fatos, relatos, principalmente, fotografias.
Poeta escreve tudo com um tempeiro bom.
Quiçá vez ou outra algum exagero.
Nada que não se possa precisar...
A vida é bela e poeta sabe sim AMAR!

Rita Arruda
20/10/2017

Semeador de sorrisos

Semeador de sorrisos

Não importa onde vá
Não importa o que faça
Seja você, semeador de sorrisos
Por onde passa

O sorriso e curativo da alma
Se franco, contagia
Carrega paz e confiança
Portador de alegria

Não confunda porém
Com risada debochada
Ou risada de escárnio
Maleficiencia desalmada

O verdadeiro sorriso
Vem do coração
Transmite alegria
Transmite emoção

Então meu espirito amigo
Semeie sorriso
E estará distribuindo
Uma fração do paraíso

Delonir cavalheiro
Canoas/RS
19/09/2017

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Onde está meu amor?


Donde estas que não te acho
A noite, o breu e tão escuro
Venha para mim
Meu Porto Seguro

Me abraça e me beija
Me conforta em teu seio
Deixa-me descansar
E por esta noite
Prometo te amar

Venha doce e serena
Venha a mim cheirosa
Vem despudorada
Vem toda fogosa

Venha até mim
Venha me beijar
Entrega a mim tua preciosa flor
Ei de te amar  até tu gozar

Venha
Entrega te nua
Prometo muito carinho
Beijos e carícias
Te amar de mansinho

 meu corpo Seguro
Onde descanso e sou feliz
Onde sou teu homem
Teus lábios e seios, me seduzem

Aguardo ansioso
Dentro de ti morrer
 ah meu corpo Moreno
Diante dela
Me sinto tão  pequeno

Saio a madrugada ainda
Te chamando, pequena
Minha doce e gostosa
Te sonho guria
meu poema

Delonir cavalheiro
15/09/2017
Canoas. /RS

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

amor e o tempo

    a merce do tempo
tanto tempo se passou
desde que a vi pela ultima vez
mas não esqueço da moça
de alva pele
como a mais bela e cheirosa flor
que na mais tenra meninice
dos dias de outrora
que se perderam por ai
um dia me apaixonei
e hoje sentado na praça
lembrando do amor que deixei
bate uma triteza em minh`alma
o arrependimento
das palavras nao ditas
da minha covardia
em nao dizer te amo
mas como dizer
se o simples de ve-la
eu ficava em panico
sem a menor açao
paralizado no no fundo
de meu eu
encolhido e agachado
sofrendo
sem do meu amor poder falar
e hoje sentado na praça
fico lembrando de tempos passados
sozinho e esquecido
porque de meu amor nao falei
apenas os pombos ouvem uma voz chorosa
"deus,tanto tempo passou e ainda a amo
nesse doloroso silencio de mim"
mas como nao amar
a mais bela lembrança
da minha mocidade
sim,sim,sim
eu a amo e sempre no fundo
de minha alma eu a marei
sempre a amarei

sábado, 7 de outubro de 2017

Feitiço de amor

Que feitiço e esse?
Que me faz deslizar
Enquanto caminhamos
Por que brilha teu olhar? 
Que feitiço e esse?
Que me faz flutuar
Me sinto nas nuvens caminhar
Pisando algodão doce
Será ilusão?
Será sonho?
Não quero acordar
Porque hoje eu sinto
Encontrei alguém
E se for um sonho
Não me desperte
Deixa eu sonhar
Eu encontrei alguém
Radiante como o sol
Que me ama e me faz bem
Que feitiço e esse?
Que põe sorriso nos meus lábios
Me faz sorrir sem querer
Basta apenas te ver
Foi o teu toque?
Suave como a brisa
Doce caricia
De fato tudo mudou
Após seu toque

Delonir cavalheiro
Canoas/RS

Livre amor

Eu me sinto livre
Eu me sinto solto
Quem saberá pra onde eu vou
Talvez a nuvem que com o vento vai
Talvez a chuva que dá nuvem cai
Eu me sinto livre
Eu me sinto solto
Eu me sinto deslizar
E nas ondas do vento
Eu sinto que posso voar
Eu me sinto livre
Eu me sinto solto
O que tu fez comigo
O sorriso não quer me abandonar
E só você enxergar
E lá está o sorriso a te namorar
Eu me sinto livre
Eu me sinto solto
Eu me sinto leve
As folhas e as flores
No chão a colorir
E da noite orvalhadas
O Dourado do sol a refletir
O novo amanhecer
Oque você fez comigo?
Eu me sinto livre
Eu me sinto solto
Eu me sinto leve
Quem saberá pra onde eu vou?
Eu me sinto deslizar
E no embalo da música
Com você vou dançar
Eu me sinto livre
Eu me sinto solto
Eu me sinto leve
Como criança  na chuva a dançar
E com você do meu lado
Um sapateado na chuva
O molhado iremos molhar
Dois amantes da vida
Duas crianças na chuva a bailar
Eu me sinto livre
Eu me sinto solto
Eu me sinto leve
Voltei ser criança no teu olhar
E o coração bate apertadinho
Caminhando  de mãos dadas
Com você do meu ladinho
E com você
Eu me sinto livre
Eu me sinto solto
Eu me sinto leve

Delonir cavalheiro
Canoas/RS