pesquisa google

Pesquisa personalizada

quinta-feira, 21 de maio de 2015

amor de primaveras

amor de primaveras
você entrou em minha vida
como a leve brisa da primavera
suave como caricia de amor
leve onda de frescor trazendo junto de si
o perfume roubado da flor
devassa-me com teu olhar
arrebata-me para junto de ti
mas acalma esse coração
que teima em bater descompassado
arritmia cardíaca
sinal de paixão
traze contigo a brisa da primavera
sopra em mim o frescor da manha
depois de uma noite de amor
beija-me com teus lábios
carregados com o sabor da maçã
fruto do pecado
doce e delicioso
néctar de um amor gostoso
me acalma,
traze sossego a minha alma
desfaz esse amor platônico
carrega-me com amor verdadeiro
com o calor da manha que desperta
deixa que eu toque teu corpo por inteiro
acariciando-te
beijando-te
amando-te
até chegar o verão
passar o outono
para no inverno eu te aquecer
com todo o meu amor
te encher com meu calor
e mais uma vez te amar
sem culpa
sem pecado
volúpia da paixão
fogo que não se apaga
delírio
tesão
amor sem fim
desejo sem par
fogo que arde sem queimar
assim é o meu amar
assim como brisa
você me tomou
dominou meus sentidos
me arrebatou
me amou
e quando passou o tempo
mais tempo que o propio tempo
esse amor não amainou
não passou
não se apagou
e vai-se uma vida
passa-se o tempo
passam-se primaveras
nova vida desponta
novo tempo
mesmo amor
de almas que se encontram
noutra brisa de primavera
mesmo antigo amor
noutra nova era
revigorado
sem nunca amainar-se
fortalece com o passar do tempo
sem nunca apagar-se
Postar um comentário